Sexologia – O que é e qual a importância do profissional?

A sexologia é um assunto voltado para os estudos acerca da sexualidade do homem, sendo necessário observar diferentes aspectos. Como a cultura, fisiologia, questões sociais e mais.

Da mesma maneira, trata-se de um estudo novo, datado do século XX e que se fortalece a partir dos direitos legais dos seres humanos, saúde sexual e psicológica. Assim, é preciso entender exatamente a que se refere essa abordagem, mas também a importância disso na sua vida. Confira!

O que é sexologia?

A princípio, a sexologia se caracteriza como um estudo científico acerca da sexualidade humana. Logo, não se trata apenas de sexo, mas também aborda interesses, comportamentos, medos e inseguranças, crenças, relacionamentos, afetividade, intimidade, etc.

Imagem 1 do artigo Sexologia – O que é e qual a importância do profissional?

Justamente por isso, é uma área ampla, onde o ato sexual é uma mínima parte. 

Tal estudo começou a ganhar força no final do século XX, surgindo como um meio de entender e estudar a sexualidade.

Comunidade da Fepo

Entretanto, estudos remetem aos gregos e Freud, com a concepção psicanalítica. Outro nome indispensável é a pioneira Helen Singer Kaplan, que fundou a primeira clínica destinada a tratamento de desordens sexuais.

Para isso, foi preciso definir a área como pluridisciplinar. Ou seja, envolve a área cientifica, do saber, bem como a área médica, psicológica, ambiental e assim por diante.

Na prática, o principal foco desse estudo é compreender sobre o tema e trazer resoluções mais eficazes do homem, englobando desejos e funções.

Por isso, é nessa área que acontecem os estudos sobre a redução da libido decorrente de alguma doença, mas também a forma como isso prejudica nas relações interpessoais, autoconfiança, autoestima ou mesmo eleva o isolamento.

Terapia online para sua saúde e bem-estar

Conceitos básicos

A sexologia é um termo direto, mas existem algumas palavras que possuem diferentes significados, que precisam ser compreendidos à fim de promover e facilitar o acesso ao conhecimento.

Então, considere:

  • Sexologia: é a área de estudo, um ramo da psicologia;
  • Gênero: se refere a questão biológica, ao órgão genital com o qual o indivíduo nasceu;
  • Sexualidade: referente a orientação sexual, ou seja, ao gênero que desperta desejos, sejam românticos ou não;
  • Assexuais: são os indivíduos que não apresentam interesse sexual para com nenhum gênero;
  • Intimidade: é ter acesso a uma parte intima de alguém, seja um casal ou não, para que aquele momento seja completamente compartilhado de forma positiva;
  • Sexo: relação íntima que envolvem os órgãos sexuais, seja com contato direto ou não.

Esse breve resumo tem o intuito de facilitar um pouco a compreensão, considerando que existe diversas nomeações recentes, como o não-binário, que causam certa confusão.

Neste cenário, o mais importante é entender que a sexualidade é algo íntimo e pessoal, que exige respeito. Ao mesmo tempo, é essencial considerar que o sexo não é um conceito completamente definido.

Chat de Apoio Emocional

Sendo assim, os indivíduos podem se relacionar afetivamente, ou não, sem penetração, e ainda é uma prática sexual.

Não à toa, a sexologia vem para responder algumas perguntas, tornar o processo de aprendizado pessoal mais efetivo, combater medos e tornar a sua vida mais feliz e prazerosa.

O que um sexólogo faz?

Se você sente alguns sintomas de ansiedade apenas ao pensar sobre o assunto, não consegue formar frases completas, foge de conversas e evita tudo relacionado a sexo e intimidade, é possível que o sexólogo seja o melhor profissional a ser contatado.

Entretanto, é essencial destacar que o sexólogo é um profissional sério, que atua dentro da psicologia, seguindo rígidos parâmetros que visam proteger todas as suas informações, criando um ambiente seguro.

Por isso, aqui na Fepo você pode encontrar profissionais formados e prontos para te ajudar. Agende a sua sessão e dê o primeiro passo em direção a uma vida melhor.

Mas, de qualquer maneira, é preciso entender o que esperar dessas sessões.

Programa de Atendimento Social

Dessa forma, o sexólogo vai recolher todos os dados que você trazer até ele e compreender isso a partir de diversos estudos.

Seja na área de relacionamentos afetivos, orientação sexual, disfunções, medos e crises associadas a isso, crenças pessoais, desejos e compulsões ou outros.

Por exemplo, muitos casais apresentam uma grande dificuldade em falar sobre o assunto, por acreditarem que isso pode causar uma visão errada no parceiro, por aquilo que vai ouvir ou mesmo por acreditar que não é necessário.

Entretanto, isso leva a desistências sexuais, vergonha, medo, ansiedade, dores, falta de relação e discussões.

Nestes casos, o profissional vai auxiliar na compreensão do problema, e nas causas disso, ajudar com dúvidas, discutir meios saudáveis de falar sobre a questão e melhorar a satisfação do casal.

Principais tabus sexuais

Os tabus relacionados ao sexo têm uma origem antiga e, muitos deles, estão relacionados a religião e a práticas culturais.

Em resumo, durante milhares de anos, o sexo era visto como um meio de reprodução, garantindo a continuidade da família, alguém para passar as posses e se orgulhar.

Com o passar dos anos, as famílias começaram a ter menos filhos e o prazer passou a ser explorado de forma menos “hereditária”. Mas também é importante considerar que sempre existiram meios de chegar ao prazer.

Porém, era muito comum que apenas os homens tivessem esse direito. Já que as mulheres deveriam ser “puras, recatadas, virgens”, qualquer uma que fugisse desse aspecto, não era vista como “boa para casar”. Claro que tudo isso contribui para muitas questões que existem até hoje, mas muito já mudou.

Assim, chegamos aos principais tabus relacionados ao assunto:

Masturbação

Existem diversos mitos relacionados a masturbação e, a maioria deles, é direcionada as mulheres.

Na prática, o ato de se tocar era visto como uma heresia, algo que ia contra a religião e demoníaco, já que o ser humano estava cedendo aos “desejos da carne”.

Logo, já existiram mitos que diziam que a masturbação fazia mal para o ser humano, que gerava a perda de filhos e, mais tarde, foi relacionada a histeria.

Na prática, o tabu envolvia a questão da libido, que não deveria ser estimulada (principalmente nas mulheres), que apenas os homens eram capazes de gozar, que as mulheres não sentiam prazer (e se sentiam eram bruxas ou estavam possuídas).

Tudo isso é um grande erro e, finalmente, está sendo quebrado para ser visto como algo natural, saudável e importante.

A primeira vez

Homens e mulheres sempre escutam algo antes de terem a primeira relação sexual, seja através de algum adulto, amigo, nas revistas, tv, filmes ou na internet.

Durante muitos anos, o principal tabu acerca disso era que as mulheres sentiriam muita dor e sangrariam e que os homens não deveriam falhar no ato de nenhuma maneira, ou isso seria um problema.

Porém, a realidade é que a dor é uma questão relativa, assim como o sangramento, que pode ou não ocorrer e sendo associado a outros fatores, como a falta de lubrificação adequada.

Ao mesmo tempo, muitos homens não são capazes de realizar a penetração por ficarem tão ansiosos ou com medo, que a região genital perde o fluxo de sangue, deixando o membro “mole”.

Inclusive, o homem nem sempre vai estar pronto e existem muitos fatores que influenciam na hora do sexo, já que o corpo precisa enviar o sinal para que o pênis fique ereto.

Não à toa, muitos homens apresentam disfunções sexuais por medo, insegurança, depressão, distúrbios do sono, má alimentação, etc.

Homem gosta mais de sexo que mulher

Um dos tabus mais complicados da sociedade está ligado a ideia de que a mulher não tem apetite sexual e, se tem, isso atrela a ela uma imagem incorreta, que foge do que muitos consideram um padrão “agradável”.

Em outras palavras, a mulher que diz que tem desejos sexuais, passa a ser vista como “fácil”, tarada e muitos outros, que provavelmente você já ouviu.

Mas, a realidade, é que homens e mulheres podem ou não ter uma libido mais aflorada, ou mesmo um desejo normal, quando estimulado.

Entretanto, devido a questão cultural, de que o homem é um ser instintivo e deveria ser o provedor, associa-se isso a ideia de que apenas o masculino teria esses desejos e atingiria o orgasmo. O que é uma grande mentira.

Assim, mulheres e homens podem sentir desejos e, cada um tem uma pulsão própria.

Fetiches: a sexologia dentro de um dos maiores tabus em pleno século XXI

Os fetiches são, em resumo, alguma parte do corpo, objeto ou comportamento que causa uma excitação sexual. Podendo estar ligado ao ato em si ou não.

Geralmente, os fetiches são associados a fantasias, como um local, uma roupa ou estilo, características e até mesmo a sensações.

Entretanto, é importante destacar que um fetiche por ser algo muito simples. Muitas mulheres, por exemplo, têm essa excitação por homens que demonstram segurança e proteção, ao passo que muitos homens tem aquela visão de mulheres de salto alto, lingerie e batom vermelho.

Ao mesmo tempo, é importante ir além dessa questão, já que existem alguns fetiches que são tabus, como:

  • Posições sexuais;
  • Masturbação durante o sexo ou como preliminar;
  • Sexo casual ou sem compromisso;
  • Sexo anal;
  • Relacionado a pés e/ou mãos;
  • Tecidos, como couro;
  • Ménage;
  • Fantasias, como se vestir de médico, bombeiro ou policial, geralmente assumindo um papel;
  • BDSM, como uso de algemas e vendas, etc.

Assim, os tabus relacionados ao fetiche vêm de algo antigo, já que o sexo ainda é entendido sob uma perspectiva religiosa e prática, com fins de reprodução, ou algo rápido e minimamente invasivo.

Porém, o fetiche é algo libertador para muitos, que eleva as sensações e o prazer, elimina o medo e inseguranças, facilita a chegada ao ápice e melhora a intimidade.

Logo, havendo respeito de ambas as partes, incluindo limites e não realizando práticas ilegais, os fetiches podem oferecer uma nova experiência.

Sexologia: como são os atendimentos clínicos?

Depois de conhecer mais sobre a área, é importante entender que um sexólogo não terá nenhum tipo de contato sexual com você. Todos os atendimentos são baseados em ciência e avaliações.

Assim, o primeiro atendimento visa compreender melhor quais são as principais dificuldades e queixas que você tem, para a realização da anamnese.

Com o início dos demais atendimentos, inicia-se um processo de compreensão e busca por respostas, incluindo causas, situações que possam ter levado aquela condição atual e assim por diante.

Esses atendimentos podem ser feitos individualmente e com cônjuge, se você quiser.

Frequentemente, as principais queixas incluem:

  • Ejaculação precoce;
  • Dificuldade para chegar ao orgasmo;
  • Insegurança no momento do ato;
  • Vergonha excessiva;
  • Disfunção erétil;
  • Baixo desejo sexual;
  • Casos de ninfomania;
  • Relações dolorosas, física ou psicologicamente;
  • Parafilias, como sadomasoquismo, etc.

Em alguns casos, além do tratamento psicológico, pode ser necessária a realização de exames, como de sangue, ultrassom ou outros. Neste caso, você é direcionado a um clínico ou especialista.

Como saber se preciso de um sexólogo?

A sexologia é um campo considerado recente, ou seja, nem todos buscam efetivamente este profissional ou podem ter dúvidas sobre os sinais que indicam que é preciso cuidar mais de si mesmo neste aspecto.

Dessa forma, os primeiros atendimentos podem ocorrer em qualquer idade, sendo mais comum a partir da entrada na puberdade, onde cada caso é avaliado individualmente.

Alguns sinais importantes que você deve notar incluem:

  • Medo incontrolável de atividades sexuais ou relações intimas/afetivas;
  • Problemas na autoestima;
  • Dificuldades relacionadas a orientação sexual;
  • Relacionamentos que acabam ou questões internas relacionadas ao assunto;
  • Vergonha excessiva dos parceiros;
  • Histórico de traumas, como abusos, abandono ou relações anteriores tóxicas;
  • Relacionamentos anteriores com narcisistas e outros indivíduos problemáticos;
  • Disfunções, como dificuldade em sentir prazer, aproveitar o momento ou outra;
  • Aversão sexual;
  • Dores durante o ato;
  • Impotência;
  • Fuga constante das relações;
  • Crenças acerca do tema que impedem conversas ou realizações, etc.

A sexologia vem para mudar completamente a sua vida e trazer felicidade, liberdade e prazer, tudo de forma saudável, equilibrada e positiva, para que você aproveite cada instante.

Com a liberação da terapia online, isso ficou ainda mais fácil, já que você pode ter os melhores profissionais cuidando do seu caso sem precisar sair de casa.

Enfim, seja para resolver um problema, acessar seu lado íntimo ou melhorar o desempenho sexual, a sexologia pode oferecer as respostas que você estava procurando.

Mas, se tiver dúvida quanto a outros assuntos, não deixe de conferir o Blog Fepo e dê uma olhada em todos os posts incríveis que estão à sua espera!

Felipe Laccelva

Felipe Laccelva

Psicólogo formado há mais de dez anos, fundador e CEO da Fepo. Fascinado pela Abordagem Centrada na Pessoa, que tem a empatia como eixo central para transformar o ser humano. Sempre buscou levar a psicologia para mais pessoas e dessa forma criar um mundo mais saudável e acolhedor.

Agendar consulta